Mostrar 6 resultados

Descrição arquivística
Irmandade dos Clérigos do Porto Hospital da Irmandade dos Clérigos do Porto Com objeto digital
Previsualizar a impressão Ver:

Recibos dos Enfermeiros

Livro de registo dos recibos de pagamento aos enfermeiros do Hospital da Irmandade dos Clérigos do Porto. Os recibos de pagamento contêm a indicação do nome do Enfermeiro-Mor em funções; a quantia que este entregou ao enfermeiro; o tempo de trabalho a que se refere o salário (ex.: «Desde 13 de Fevereiro athe 4 de Março» - fl. 9v.); a data e assinatura do enfermeiro ou a assinatura por cruz. Nalguns casos encontram-se igualmente referências ao nome dos doentes tratados e o valor do salário diário auferido pelos enfermeiros em funções.
Este livro contém dois termos de abertura (fls. 1 e 1v.) e termo de encerramento (fl. 246v.).

Hospital da Irmandade dos Clérigos do Porto

Enfermaria Entradas, e Obitos

Livro de registo da entrada de Irmãos doentes na Enfermaria da Irmandade dos Clérigos do Porto, assim como registo do termo dos seus falecimentos.
Os registos de entrada de enfermos contêm os seguintes dados: nome; morada; data de entrada na Enfermaria; indicação da tipologia de doença (ex.: febre maligna, hidropisia, perna partida, etc.); diversas indicações à margem do registo (ex.: indicação de que saiu curado ou para tratamentos específicos, como «apanhar ares Patrios»; data de falecimento e remissão para o respectivo termo no mesmo livro) e assinatura do termo de entrada pelos Mordomos do Hospital, Enfermeiro-Mor, Tesoureiro da Igreja ou Secretário da Irmandade.
Os registos de falecimento, por sua vez, contêm a indicação do nome; morada; hora e data de falecimento; sacramentos administrados e nome do sacerdote que os celebrou; referência aos ofícios realizados pela alma do defunto; indicação de existência de testamento; número da sepultura, no caso de enterramentos na Igreja dos Clérigos; diversas indicações à margem do registo (ex.: data do falecimento; remissão para o respectivo termo de entrada no mesmo livro) e assinatura do termo de falecimento pelos Mordomos do Hospital, Enfermeiro-Mor, Tesoureiro da Igreja ou Secretário da Irmandade.
Entre os fólios 91 a 96v. encontra-se um inventário da Enfermaria da Irmandade dos Clérigos do Porto do ano de 1762, com adições de 1764, 1765, 1770 e 1771.
Esta brochura contém termo de abertura (fl. não numerado) e termo de encerramento (fl. 98).

Hospital da Irmandade dos Clérigos do Porto

[Livro para se assentarem as receitas dos Senhores Médicos]

Livro de registo das receitas prescritas pelos Médicos que assistiam os Irmãos doentes a cargo da Irmandade dos Clérigos do Porto. As receitas encontram-se organizadas por doente (ex.: «Para o Reverendo Senhor Padre Antonio da Fonçeca» - fl. 2) e, no fim das mesmas, encontram-se os recibos de pagamento pela assistência médica e aviamento de medicamentos. Geralmente, o pagamento era efectuado pelo Enfermeiro-Mor ou pelo Secretário da Irmandade e confirmado com a assinatura do cobrador.
Este caderno contém termo de abertura (fl. 1).

Hospital da Irmandade dos Clérigos do Porto

Recibos do Medico e Cirurgião

Livro misto relativo à Enfermaria da Irmandade dos Clérigos do Porto, constituído por duas partes distintas.
A primeira parte (fls. 2 a 4) é constituída pelo registo dos recibos de pagamento aos médicos e cirurgiões que assistiram os enfermos a cargo da Irmandade. Os recibos de pagamento, relativos às datas de 1792-08-16 a 1796-08-02, contêm a indicação do nome do Enfermeiro-Mor em funções; a quantia que este pagou ao médico / cirurgião; a proveniência do pagamento (ex.: receitas para os doentes, visitas aos enfermos); nome dos doentes tratados; data e assinatura do médico ou cirurgião.
A segunda parte (fls. 4v. a 22) é constituída pelo registo da receita e despesa da Enfermaria, relativa às datas de 1803-07-28 a 1816-09-13. Os registos de receita e despesa encontram-se organizados por enfermo (ex.: «Despeza que diariamente vai fazendo o (…) Enfermeiro deste Hospital com o Nosso Irmão o Reverendo Doutor Francisco de Paula (…)» – fl. 4v) e contêm os seguintes dados: ano económico; data de entrada do doente ou deliberação da Mesa de o socorrer; nome do Enfermeiro-Mor e Secretário em funções; nome do doente; data e descrição das diversas receitas (ex.: quantia paga pelo Secretário para suportar as despesas da Enfermaria) e despesas (ex.: mantimentos, vestuário, alimentos, mobília, remédios, pagamentos de ordenados ao pessoal que auxiliava na Enfermaria, entre outros).
Este livro contém dois termos de abertura (fls. 1 e 1v) e termo de encerramento (fl. 246v).

Hospital da Irmandade dos Clérigos do Porto

Inventário da Enfermaria

Livro de registo dos inventários da Enfermaria da Irmandade dos Clérigos do Porto. Esta documentação surge na sequência da obrigação - instituída pelo § 6.º, Capítulo 29, fls. 69-69v. dos Estatutos da Irmandade de 1782 - do Enfermeiro-Mor do Hospital manter um registo actualizado com a descrição de toda a roupa, alfaias e bens pertencentes à Enfermaria.
No fólio 3 encontra-se um índice dos capítulos que constituem o primeiro inventário registado nesta fonte. Contém seis inventários, a saber: inventário sem datas de referência (fls. 4 a 21); inventário de 1801 (fls. 23 a 24); termos de doações efectuadas ao Hospital em 1802-1803 (fl. 24v.); inventário de 1810 (fls. 25 a 27); inventário de 1815 (fls. 27 a 30); inventário de 1821-1822 (fls. 30 a 31). Entre o último fólio e a capa inferior, encontra-se um papel solto, não datado, que contém o «Rol da roupa branca que se encontra nas gavetas da Enfermaria».
Este livro contém termo de abertura (fl. 1) e termo de encerramento (fl. 136v.).

Hospital da Irmandade dos Clérigos do Porto

Despeza da Infermaria

Livro de registo da receita e despesa da Enfermaria da Irmandade dos Clérigos do Porto. Os registos encontram-se organizados por doentes (ex.: «Despeza, que nós os Mordomos da Enfermaria abaixo assinados fizemos em o mez, que teve principio a 11 de Setembro, e fim a 10 de Outubro, na doença do Nosso Irmão o Reverendo Conego Domingos Ribeiro Nunes (…)» - fl. 3v.) e contêm os seguintes dados: identificação do Irmão enfermo (nome e, por vezes morada); data de entrada do doente; nome dos Mordomos do Hospital e Enfermeiro-Mor em funções; descrição das receitas (ex.: quantia paga pelo Secretário para suportar as despesas da Enfermaria) e despesas (ex.: mantimentos, vestuário, alimentos, mobília, remédios, pagamentos de ordenado ao pessoal auxiliar, entre outros) e indicações diversas, tais como data de falecimento dos doentes e remissão para o registo de entrada na Enfermaria.
Este livro contém termo de abertura (fl. 1) e termo de encerramento (fl. 238v.).

Hospital da Irmandade dos Clérigos do Porto