Mostrar 487 resultados

Descrição arquivística
Irmandade do Santíssimo Sacramento da Igreja de Nossa Senhora da Encarnação
Previsualizar a impressão Ver:

Despesa pertencente à Irmandade

Despesa da Irmandade do ano económico de 1763/1764 f. 1 a 42, a despesa pertencente à herança de Marcos da Silva f. 55-57, a despesa da herança de D. Teresa de Jesus Aurélia f. 61-65, a despesa da herança de Luís Salinas de Oliveira e seu irmão f. 66-67, a despesa da herança de Filipe de S. Tiago Ribeiro f. 71, o resumo da despesa do ano de 1763/1764 f. 74 e a despesa da Irmandade relativa ao ano de 1764/1765 do f. 76 em diante, até f. 142. Resumo da despesa f. 74 e 143, incluindo o número do fólio, descrição da despesa e valor despendido. No final da folha apresenta a quantia total. Após o resumo referente a cada um dos anos económicos, apresenta-se o encerramento de cada conta (de 1764-09-10 e 1765-08-18, respectivamente de 1763/1764 e de 1764/1765). Possui um índice no início do livro. Tesoureiro: Tomás de Aquino Tavares. Escrivão: Bastos Viana; A. Sampaio.

Despesa das obras da Igreja de Nossa Senhora da Encarnação

Despesa da Irmandade do Santíssimo Sacramento relativa às obras para reedificação da Igreja de Nossa Senhora da Encarnação. Apresenta, relativamente a 1755/1756, a despesa com o primeiro desentulho; a despesa com a construção de uma barraca e telheiro que se fez dentro da Igreja queimada e com o segundo desentulho, por ter caído o frontispício da Igreja (f. 2 e 2 v.º); a despesa com o transporte e fundição da prata e sua redução a barras (f. 3). Relativas a 1756/1757, apresenta as despesas com o concerto do telheiro arruinado pela pedraria que caíra do frontispício da Igreja e despesa do respectivo desentulho (f. 4); despesa com os materiais e jornais que se fez para apear, numerar e arrumar as pedras da torre (f. 4 v.º - 5). Em 1757/1758 apresentam-se as despesas com a demolição da torre da Igreja e com a arrumação das pedras e caliça das paredes da Igreja e torre (f. 6).

Receita e despesa da Fábrica desta Paroquial Igreja de Nossa Senhora da Encarnação

Índices no início do livro - “alfabeto da receita deste livro” f. 1 e “alfabeto da despesa deste livro” no f. 1 v.º, a descrição da receita f. 2-14 e despesa f. 18-38, resumo da receita f. 40, resumo da despesa f. 41 e encerramento da conta datado de 1754-08-18 no f. 42. Tesoureiro: Nuno Prestes da Silva. Escrivão: Mateus Francisco Padrão.

Conta do irmão procurador da Mesa

Cobranças dos rendimentos pertencentes à Irmandade, com o registo dos conhecimentos entregues ao Procurador da Mesa para serem cobradas aos devedores as quantias respectivas indicando-se, do lado esquerdo da folha, para cada assento: número do documento de receita, ano, mês e dia, quantidade de conhecimentos entregues e sua finalidade, valor total dos conhecimentos entregues; do lado direito indicam-se as quantias recebidas dos devedores correspondentes aos ditos conhecimentos: o ano, mês e dia, descritivo do recebimento e valor recebido, f. 1-11. As f. 12-31 estão em branco e não numeradas. Contém ainda pagamentos efectuados da responsabilidade do Procurador por determinação da Mesa e outras despesas miúdas da sua competência, indicando-se do lado esquerdo da folha: ano, mês e dia, descritivo dos créditos na conta do Procurador e sua proveniência e valores recebidos divididos em duas colunas, uma para a quantia em metal e outra para a quantia em papel e, do lado direito da folha, os assentos de vários pagamentos efectuados pelo Procurador da Mesa, indicando-se o ano, mês e dia, descritivo do pagamento, o seu destino e valores pagos em papel e em metal, f. 32-43. No final de cada página tem os somatórios dos valores recebidos e pagos. Faz referência ao livro 1 do tesoureiro e ou livro da receita por lembrança (Ver ref.ª PT-INSE-ISSIE/GF/18-01): “Balanço deste anno que passa em sua Conta Velha L.º que tem p.r titulo Nº 1 Thezour.º”. Não possui termos de abertura e encerramento. Procurador da Mesa: Manuel Francisco da Cruz. Tesoureiro: António José Coelho da Fonseca.

Receita por lembrança para se carregarem as quantias, que se hajam de cobrar dos tesoureiros da Real Fazenda, ou de outro qualquer exactor que seja encarregado de pagar pela sua receita ao tesoureiro da nossa Irmandade do Santíssimo Sacramento da Paroquial Igreja de Nossa Senhora da Encarnação

Registos dos conhecimentos entregues ao procurador da Mesa, organizados cronologicamente, indicando-se, em cada termo de entrega, o nome do indivíduo ou entidade devedora, justificação da dívida e data: “Carrego em Receita por lembrança ao procurador (nome), (quantia) réis/Que há de receber de (nome/instituição/organismo) importância de (descritivo da razão da receita) de q se extraiu conhecimento em forma N.º (número do conhecimento) o qual se entregou ao d.º procurador, Lisboa (data)”. Na margem direita assinalam-se ainda os valores a cobrar e referência ao livro de conta corrente do procurador da Mesa (ver série ref.ª PT-INSE-ISSIE/GF/12): «Lançado no debito da Conta do Irmão Procurador no competente livro fl. (…)». Os termos são assinados pelo escrivão, que os redige, pelo tesoureiro e pelo procurador da Mesa. Tesoureiro: António José Coelho da Fonseca; António Carvalho. Procurador da Mesa: Manuel Francisco da Cruz. Escrivão: Domingos Gomes Loureiro; António José Maria de Brito.

Cofre N.º A da Irmandade do Santíssimo Sacramento da Freguesia de Nossa Senhora da Encarnação

A informação apresenta-se disposta em colunas: ano e mês, dia, descrição da receita ou despesa, papel (quantia), metal (quantia), total (quantia). Tesoureiro: António José Maria de Brito; José Pedro Cardoso da Costa. Escrivão: Anacleto da Silva Morais; Gaspar Feliciano de Morais; Filipe Arnaud de Medeiros.

Livro de Razão da Irmandade do Santíssimo da Freguesia de Nossa Senhora da Encarnação

Os registos encontram-se organizados por tipos de receita ou despesa em folhas separadas, dispondo a informação relativa a cada um em colunas, indicando-se, em cada assento: ano, mês e dia, entidade ou indivíduo credor ou devedor, descritivo da receita ou despesa, uma coluna com a referência ao livro "Diário" e respectiva folha e o valor pago ou recebido. Está organizada por capítulos: Irmandade, Fazenda Real, Casa do Infantado, Senado da Câmara, Foros, Propriedades, Devedores de empréstimos a juros, Companhia de Grão Pará e Maranhão, Legados, Esmolas a pobres, Cofre da Irmandade, Obra da Igreja, obra do cemitério, missas por alma dos instituidores, títulos da Dívida Pública, despesas de culto, entre outros.

Abecedário do Livro de Razão N.º A da Irmandade do Santíssimo Sacramento da Freguesia de Nossa Senhora da Encarnação

Índice do Livro de Razão A (Ver série com ref.ª PT-INSE-ISSIE/GF/16-01). Apresenta em anexo outro idêntico, com o título “Alphabeto”, que se encontra incompleto. Possui marcadores alfabéticos, por rúbricas orçamentais e indica a entidade / indivíduo ou tipo de receita / despesa e fólio do Livro Razão em que se localiza o assento.

Guia de Receita

A guia de receita, em modelo impresso, continha a seguinte informação: número da guia, quantias recebidas pelo irmão tesoureiro respeitantes às verbas provenientes do rendimento da fábrica, do peditório para a cera, entre outros (que se podiam acrescentar à mão), a soma das quantias recebidas, data, assinatura do tesoureiro e visto do escrivão. Entre Julho de 1923 e Abril de 1924, as guias serviram para o assento de entregas de roupa e paramentos para lavar ou arranjar.

Donativos e jóias

11 cadernetas de canhotos de recibos de donativos e jóias. Cada canhoto apresenta no topo um número sequencial, de 1 a 643, no período de 1922 a 1932 (correspondendo às cadernetas 1 a 7) e de 1 a 264, entre 1932 e 1935 (cadernetas 8 a 10), e de 1 a 134, entre 1936 e 1938 (cadernetas 10 e 11). O texto do recibo refere o nome do indivíduo que faz o donativo ou pagamento de jóia, a que é que corresponde o pagamento (donativo, esmola ou jóia), o valor entregue e a data.

Resultados 61 a 70 de 487