Fundo FJMS - Fundo José Mendes Serrazina

Zona de identificação

Código de referência

PT/CP/FJMS

Título

Fundo José Mendes Serrazina

Data(s)

  • 1943 - 1959 (Produção)

Nível de descrição

Fundo

Dimensão e suporte

1 caixa (5 capilhas); papel, prova fotográfica

Zona do contexto

Nome do produtor

(1924-2010)

História biográfica

José Serrazina Serrazina (Pe. Serrazina, como era conhecido), nasceu em 1924, na Benedita (Alcobaça, Distrito de Leira, Diocese de Lisboa). Estudou nos Seminários de Santarém, Almada e Olivais (Diocese de Lisboa). Na sua formação, consta também o Curso Pro Ecclesia no Centro Internacional do Movimento para um Mundo Melhor, em Roma (1961-1962). Mais tarde (1988), concluiu a licenciatura em Teologia na Universidade Católica Portuguesa (UCP). Em 1950, tinha sido ordenado padre, assumindo funções como professor e prefeito no Seminário de Santarém (até 1955). Depois exerce diferentes cargos como assistente de organismos rurais da Acção Católica Portuguesa (até 1968), sendo, ainda no mesmo período, um dos fundadores do Movimento Familiar Casais de Santa Maria, assistente diocesano dos Centros de Preparação para o Matrimónio e do Conselho da Pastoral Familiar do Patriarcado de Lisboa. Paralelamente, ensina Sociologia e Pastoral da Família no Instituto Superior de Estudos Teológicos (1965-1969). Depois da Acção Católica e de iniciativas no plano da família, regressa a responsabilidades na área da formação do clero, agora no Seminário dos Olivais e como vice-reitor (1968-1970), num período de crise da instituição, assumindo igualmente a redação do Boletim Diocesano de Pastoral (1968-1973). É por essa altura que a pastoral social se torna a área privilegiada de atuação. Assistente da Cáritas Diocesana de Lisboa (1973), director do Secretariado Diocesano de Acção Social (1973), assistente da Cáritas Portuguesa (1974), secretário da Comissão Episcopal da Acção Social e Caritativa, membro do grupo Animação e Pastoral da Caritas Europa (1976-1982), director do Secretariado Nacional da Acção Social e Caritativa (desde a sua fundação, em 1982), director da revista Cáritas (também desde o seu lançamento, em 1982). A o ensino (na UCP) e, sobretudo, a família continuaram a ser prioridades: nomeado para a Comissão Interministerial da Família (1984), foi co-organizador do Congresso da Família (1985). Cónego da Sé de Lisboa (1989), secretário-geral do Patriarcado (1990-1997) foi pároco dos Anjos, em Lisboa (1997-2000).
Faleceu em 2010.

Entidade detentora

História do arquivo

Nomeado assistente eclesiástico da Cáritas Portuguesa em 1974 (ainda a título interino), José Mendes Serrazina (Pe. Serrazina) foi uma das figuras mais relevantes no rumo da organização até cessar funções, em 1990. Desde o ano anterior que assumira cargo equiparável na Cáritas Diocesana de Lisboa. Ainda durante a transição democrática em Portugal, dirigiu o Secretariado Diocesano de Acção Social de Lisboa, secretariou a Comissão Episcopal da Acção Social e Caritativa e integrou o grupo Animação e Pastoral da Caritas Europa. Com a fundação do Secretariado Nacional da Acção Social e Caritativa, em 1982, foi nomeado como diretor. O exercício destes diferentes cargos teve como epicentro a Cáritas Portuguesa, onde, também em 1982, está no lançamento e na direção da revista Cáritas. A centralidade da Cáritas Portuguesa nas suas diversas funções durante cerca de duas década justificam a persistência, até aos dias de hoje, de alguns documentos pessoais, referidos a períodos anteriores, de José Mendes Serrazina no acervo daquela organização.

Fonte imediata de aquisição ou transferência

Zona do conteúdo e estrutura

Âmbito e conteúdo

Espólio pessoal de José Mendes Serrazina referente a período anterior às suas funções como assistente eclesiástico da Cáritas Portuguesa. A documentação consiste em apontamentos para retiros, pregações, conferências e peças de teatro, elaboradas ainda quando aluno e professor de Seminário e assistente de organismos da Acção Católica Portuguesa.

Avaliação, selecção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de organização

Zona de condições de acesso e utilização

Condições de acesso

Condiçoes de reprodução

Idioma do material

  • espanhol
  • latim
  • português

Script do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de descrição

Zona de documentação associada

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Zona das notas

Identificador(es) alternativo(s)

Pontos de acesso

Pontos de acesso - Assuntos

Pontos de acesso - Locais

Pontos de acesso - Nomes

Pontos de acesso de género

Zona do controlo da descrição

Identificador da descrição

JMS

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

CONSELHO INTERNACIONAL DE ARQUIVOS — ISAD(G): Norma Geral Internacional de Descrição Arquivística. Trad. Grupo de Trabalho para a Normalização da Descrição em Arquivo. 2.ª ed. Lisboa: Instituto dos Arquivos Nacionais/Torre do Tombo, 2002.

DIREÇÃO GERAL DE ARQUIVOS; PROGRAMA DE NORMALIZAÇÃO DA DESCRIÇÃO EM ARQUIVO; GRUPO DE TRABALHO DE NORMALIZAÇÃO DA DESCRIÇÃO EM ARQUIVO – Orientações para a descrição arquivística. 2.ª v. Lisboa: DGARQ, 2007.

Estatuto

Preliminar

Nível de detalhe

Parcial

Datas de criação, revisão, eliminação

2022

Línguas e escritas

  • português

Script(s)

Fontes

PARÓQUIA DE N.ª S.ª da ENCARNAÇÃO da BENEDITA (coord.) - Cónego José M. Serrazina. Lisboa: Cáritas Portuguesa, 2012.

Zona da incorporação

Assuntos relacionados

Pessoas e organizações relacionadas

Géneros relacionados

Locais relacionados