Documento composto 0005 - Livro de recibo e despeza desta Congregação [de São Filipe Néri]. Anno de 1666. Receita e Despeza

Open original Objeto digital

Zona de identificação

Código de referência

PT ICPRT IC/CSFN/0005

Título

Livro de recibo e despeza desta Congregação [de São Filipe Néri]. Anno de 1666. Receita e Despeza

Data(s)

  • 1666-00-00 a 1685-05-28 (Produção)

Nível de descrição

Documento composto

Dimensão e suporte

1 Brochura; 39 fls.; 30 x 22 x 0,5 (cm)

Zona do contexto

Nome do produtor

([1666-00-00] a 1707-00-00)

História administrativa

No século XVII, a cidade do Porto contava com três Irmandades fundadas com o intuito de socorrer os clérigos seculares, nas vertentes espiritual e material: a Confraria dos Clérigos Pobres de Nossa Senhora da Misericórdia, a Confraria dos Clérigos de São Pedro ad Vincula e a Congregação de São Filipe Néri.
A Congregação de São Filipe Néri, instituída por um conjunto de religiosos, visava o serviço a Deus e a São Filipe Néri, o socorro das almas do Purgatório e a salvação das almas e enterro dos corpos dos Irmãos.
Sediada, em Janeiro de 1666, na Igreja de Nossa Senhora da Graça dos Meninos Órfãos do Porto, transferiu-se, em Julho de 1670, para a Igreja de Santo António da Porta de Carros e, em Junho de 1688, para o templo da Santa Casa da Misericórdia do Porto.
Em 1666, o funcionamento da Confraria já era regido por deliberações estatutárias. No entanto, não localizamos, até ao momento, esta regra, que permitiria traçar a estrutura orgânico-funcional desta instituição. Em alternativa, reconstituímos o quadro directivo da Irmandade com base nos assentos das eleições. No topo administrativo, encontrava-se a Mesa, constituída por um Presidente e quadro deputados. O Terceiro Deputado desempenhava as tarefas adstritas ao Escrivão. O Zelador-Mor, o Tesoureiro e os Enfermeiros (em número de dois) auxiliavam a Mesa nas tarefas de gestão e assistência.
Na primeira metade do século XVIII, os membros das três Confrarias de clérigos concluíram que seria benéfica a união numa só instituição: a Irmandade dos Clérigos do Porto. A elaboração de novos estatutos ditou o fim da separação até então vigente.
Com a união das Irmandades, em 1707, a documentação produzida no âmbito do funcionamento desta confraria foi introduzida no arquivo da Irmandade dos Clérigos do Porto. Da actividade desta Confraria, restou um volume documental reduzido, mas que contempla assentos das Mesas; registos de decisões administrativas; assentos de eleições; termos de aceitação/ admissão de Irmãos; assentos de composição com os ausentes; róis de Irmãos vivos e falecidos; termos de óbito dos membros; inventários da fábrica; termos de entrega dos bens da Congregação e registos de receitas e despesas.

História do arquivo

Fonte imediata de aquisição ou transferência

Zona do conteúdo e estrutura

Âmbito e conteúdo

Rendimento das entradas dos Irmãos. Despesas/gastos da Congregação (ex.: livros, papel, panos, alfaiate por feitio de ornamentos, esmolas, Coveiro), em parte dos anos com registo autónomo dos gastos com a festa de São Filipe Néri (ex.: música, armação, Pregadores, fogo/foguetes, charamelas). Rendimento/receita da Congregação (ex.: Audiências/Juntas, entradas de Irmãos, faltas). Termo de entrega de objectos da «velha» Mesa à «nova» entre 1669 e 1670 (ex.: uma cruz, uma manga de chamalote de lã, cordões, uma caixa da cruz e pão dela, Estatutos, livros). Termo de reformação da cera e termo da cera que se reduziu a dinheiro em 1683.
Com termo de abertura no fólio 1, sem termo de encerramento.

Avaliação, selecção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de organização

Ordenação cronológica.

Zona de condições de acesso e utilização

Condições de acesso

Condiçoes de reprodução

Idioma do material

Script do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Brochura em pergaminho com tiras de pele para fechar. Título da capa superior parcialmente apagado. Mancha de tinta sobre parte do texto do fólio 1. Apresenta algumas folhas com manchas de humidade Estado de conservação regular.

Instrumentos de descrição

Zona de documentação associada

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Zona das notas

Nota

Título na capa superior e de acordo com o Inventário antigo (Meireles, 1975).

Nota

Fólios numerados mas não rubricados. Fólios em branco: 37 a 39.

Identificador(es) alternativo(s)

Referência do inventário antigo

98

Pontos de acesso

Pontos de acesso - Assuntos

Pontos de acesso - Locais

Pontos de acesso - Nomes

Pontos de acesso de género

Zona do controlo da descrição

Identificador da descrição

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Estatuto

Nível de detalhe

Datas de criação, revisão, eliminação

Línguas e escritas

Script(s)

Fontes

Objeto digital (Matriz) zona de direitos

Objeto digital (Referência) zona de direitos

Objeto digital (Ícone) zona de direitos

Zona da incorporação

Assuntos relacionados

Pessoas e organizações relacionadas

Géneros relacionados

Locais relacionados

Depósito físico

  • Prateleira: 98